Cidade com 25 mil habitantes já tem 83 casos confirmados. No dia anterior eram 43.

Testes rápidos para Covid-19 no Distrito Federal  — Foto: Breno Esaki/Agência Saúde
Testes rápidos para Covid-19 no Distrito Federal — Foto: Breno Esaki/Agência Saúde

Com a contaminação de coronavírus entre funcionários de um frigorífico da JBS em São Miguel do Guaporé (RO), denunciada pelo Ministério Público do estado, o número de casos de Covid-19 cresceu 80% em um único dia. É o que revela o último boletim da Secretaria Municipal de Saúde (Semsau).

Segundo a pasta de saúde, na segunda-feira (25) a cidade tinha 46 casos confirmados da doença. Já na terça-feira o número saltou para 83.

A Semsau afirma que a cidade já tem dois óbitos, sendo um deles de um paciente que era funcionário do frigorífico da cidade. Dos mais de 80 pacientes infectados com o novo coronavírus, apenas dois estão curados. Um deles recebeu alta no dia 25 de maio.

O crescimento rápido de casos de Covid-19 em São Miguel tem chamado a atenção do governo de Rondônia, que já prometeu enviar uma equipe de saúde preparada para conter o avanço do coronavírus na região.

São Miguel do Guaporé tem 25 mil habitantes e não possui Hospital Regional. O mais próximo é o de São Francisco do Guaporé (RO).

Em coletiva de imprensa, o secretário estadual de Saúde, Fernando Máximo, contou que um dos fatores responsáveis pelo rápido avanço de Covid-19 na cidade pode ser uma contaminação em massa ocorrida no frigorífico.

Máximo afirmou já estar em contato com autoridades do município e que testes rápidos e insumos estão sendo enviados.

O apoio deve ocorrer como acontece em Guajará-Mirim (RO), cidade que também teve um rápido aumento no número de casos nas semanas anteriores e recebeu equipe da Sesau para regulação no fluxo.

“Guajará-Mirim era um filho pedindo socorro e agora São Miguel do Guaporé é outro filho que acendeu a luz amarela e nós temos que se dedicar também”, alertou Fernando Máximo.

Interdição de frigorífico

Por causa dos casos de coronavírus no frigorífico da cidade, nesta terça-feira (27) uma decisão judicial mandou interditar o frigorífico JBS.

Segundo o Ministério Público de Rondônia (MP-RO) e Ministério Público do Trabalho, ao menos 30 funcionários da unidade foram infectados pelo coronavírus apenas nesta semana.

O que se sabe até agora da infecção no frigorífico, segundo o MP:

  • O frigorífico tem cerca de 1 mil trabalhadores
  • Mais de 25 funcionários foram diagnosticados com Covid-19 apenas na segunda-feira (25);
  • Outros 40 funcionários estão com sintomas do coronavírus;
  • Um funcionário da unidade JBS morreu com Covid, afirma a promotoria;
  • Os trabalhadores culpam a falta de EPI’s e aglomeração no frigorífico;

Procurada pela reportagem sobre a ação judicial, a JBS repudiou os argumentos da promotoria de justiça e nega a informação sobre morte de funcionário.

“A JBS refuta os argumentos apresentados pelo Mistério Público do Estado de Rondônia e lamenta a tentativa de responsabilizar a Companhia como foco de contaminação da Covid-19 na cidade de São Miguel do Guaporé (RO).

O primeiro ponto a ser esclarecido é que não há caso de morte entre os colaboradores da empresa, conforme informa erroneamente o MPRO. Além disso, também são equivocadas as informações sobre o confinamento e aglomeração de trabalhadores em setores da unidade. A Companhia reitera que tem como objetivo prioritário a saúde de seus colaboradores e por isso adotou um rígido protocolo de prevenção contra a Covid-19 em suas unidades conforme as orientações dos órgãos de saúde e do Hospital Albert Einstein, além de especialistas médicos contratados pela Companhia para apoiar na implantação rigorosa de medidas para a proteção de seus colaboradores. Entre as ações adotadas pela Companhia, estão:

– afastamento de pessoas que fazem parte do grupo de risco como maiores de 60 anos, gestantes e todos os que tiveram recomendação médica;

– ampliação da frota de transporte;

– desinfecção diária das unidades;

– medição de temperatura de todos antes do acesso às fábricas;

– vacinação contra gripe H1N1 para 100% dos colaboradores;

– ações de distanciamento social;

– forte comunicação de prevenção e cuidados, entre outras.

Todas as medidas adotadas pela JBS estão a de acordo com os mais altos padrões dos órgãos de saúde e estão em vigor em todas as unidades da empresa”.

Por G1 RO