Corregedor geral da União, Gilberto Waller Júnior, destaca fortalecimento das corregedorias em reunião técnica,no Salão Nobre Rosilda Shockness, do Palácio Rio Madeira

O fortalecimento das corregedorias foi o tema principal da reunião técnica realizada na manhã desta quarta-feira (8) pelo corregedor geral da União, Gilberto Waller Júnior, no Salão Nobre Rosilda Shockness, do Palácio Rio Madeira. Com a presença de representantes federais e estaduais dos três poderes, ele apontou que a corregedoria é um importante instrumento para as demais áreas de controle e fundamental para o combate à corrupção.

Para controlador geral do Estado, Francisco Netto, a visita do corregedor geral da União traz uma importante contribuição para Rondônia. ‘‘Ele é responsável inclusive por processo disciplinar punitivo contra empresas da Lava Jato e vem compartilhar essas experiências. Nosso objetivo principal é padronizar procedimentos e melhorar o serviço público”.

Para o corregedor-geral, tudo o que o servidor pode ou não fazer tem que ser trazido às claras. ‘‘Servidor público que entrega atestado falso, usa o carro oficial para fins pessoais, recebe propina, é mais que questão de ética, é uma questão disciplinar’’, disse ele que reforçou que a corregedoria tem dupla função, a punitiva e a preventiva. ‘‘Quando se sabe que a corregedoria é efetiva procura-se evitar cometer irregularidades, pois sabem que terá consequências. Isso fortalece à prevenção’’, considera.

Gilberto Waller Júnior apresentou aos presentes o Programa de Fortalecimento de Corregedorias (Procor) e Rondônia está convidada, assim como já foi feito por outros estados da federação, a aderir ao programa, que busca aprimorar, fomentar, fortalecer os mecanismos de controle interno para apoiar, auxiliar os órgãos e as entidades da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios na execução de suas atividades correcionais.

Francisco Netto, corregedor geral do Estado de Rondônia (CGE), explica que a busca por tornar as corregedorias mais efetivas acontece em um novo momento para o país onde a importância da correição, ouvidoria e transparência estão em evidência. ‘‘O sistema de controle é formado por vários órgãos. A CGE, aqui em Rondônia, tem trabalhado bastante para avançar em transparência e aplicação de normas internacionais de auditorias internas e, agora, estamos juntos com Ouvidoria e Corregedoria fortalecendo os canais de denúncia e apuração dessas denúncias’’, conta. Para o Ouvidor geral de Rondônia, coronel BM Silvio Luiz Rodrigues da Silva, é necessário um trabalho interligado para avançar na celeridade e apuração das denúncias feitas pelos cidadãos.

Também estiveram presentes na reunião o corregedor-geral do Estado de Rondônia, Phillippe Rodrigues Menezes e o superintendente regional da Controladoria Geral da União de Rondônia, Miguel Maurício Kurilo, que destacou a importância do compartilhamento de boas práticas para a efetividade das corregedorias.

Secom – Governo de Rondônia