castanha

[dropcap]A[/dropcap] região da Ponta do Abunã tem 600 hectares de castanha do Brasil plantada que produz três milhões de toneladas do produto por safra. Para divulgar a larga produção da castanha foi criada a Festa da Castanha no distrito de Extrema de Rondônia, a 350 quilômetros de Porto Velho. A 21ª edição da festa ocorreu no final de semana passado.

O produtor Roberto de Matos que trabalha na produção e comercialização da castanha há mais de 30 anos foi quem criou a festa. “A minha intenção foi divulgar a nossa produção de castanha e fomentar as vendas, seja do produto in natura ou seus derivados e deu certo”, afirma o produtor que continua trabalhando para desenvolver o setor juntamente com outros trabalhadores da região.

castanha-confucioO governador Confúcio Moura e a primeira dama do Estado, Maria Alice, estiveram sábado (7) na Festa da Castanha e, atendendo reivindicações dos produtores da Associação Aflora, anunciou que irá liberar recursos para produzir um milhão de mudas de castanha para serem plantadas na região. “São mudas inseminadas que irão produzir mais rápido, tendo em vista que a castanheira nativa leva muito tempo para começar a produzir”, disse o governador Confúcio Moura.

Produtores da Associação Aflora entregaram um projeto com três ações conjuntas para o governador Confúcio Moura.  Eles pedem apoio para colocar em funcionamento o projeto de uma fábrica de beneficiamento de castanha que está parada há 20 anos. Foi construído o prédio, o secador e o depósito. A construção de 1.350 metros quadrados nunca funcionou, porque faltou dinheiro para comprar os equipamentos e capital de giro.

Segundo o produtor Roberto de Matos, o projeto da fábrica está pronto e terá capacidade para industrializar 100 mil latas de castanha por ano. Além de agregar valor ao produto, irá gerar cerca de 1.500 empregos diretos e movimentar aproximadamente R$ 6 milhões. “Dinheiro este que hoje sai do estado sem gerar impostos, porque toda a produção de castanha da região vai para o Pará, Acre e Bolívia sem recolhimento de imposto para o Rondônia”, declara o produtor.

A segunda ação conjunta é a produção de um milhão de mudas de castanha, o que já teve o aval do governo do Estado. E incentivo para construção de 300 hectares de lamina d’água para criação de pirarucu. As três ações do projeto estão orçadas em R$ 10 milhões, recurso do Banco de Desenvolvimento Socioeconômico e Social (BNDES). O governador determinou para que os técnicos analisem o projeto para encontrar os meios legais para execução dos projetos.

INFRAESTRUTURA

Confúcio Moura ressaltou a importância da castanha para a economia da região da Ponta do Abunã que movimenta cerca de R$ 6 milhões, beneficiando milhares de pequenos produtores. O governador também reafirmou o compromisso de fazer uma praça e pavimentar cinco quilômetros de ruas no distrito de Extrema e pediu para o ex-vereador e atual deputado estadual Léo Moraes e para o presidente da Câmara de Vereadores de Porto Velho, Jurandir Bengal,a que o ajudem no acompanhamento desses trabalhos.

Na ocasião foram entregues sete veículos modelo Strada para produtores da região. A Empresa de Assistência Técnica e Extensão rural do Estado de Rondônia, a Emater, elabora o projeto para o produtor rural fazendo uma ponte entre o homem do campo e o Banco da Amazônia para aquisição de veículos utilitários e infraestrutura para a propriedade, o que vai garantir ao produtor escoamento da produção, melhoria na propriedade e qualidade de vida. Também foi assinado um convênio no valor de R$ 750 mil para ser investido em infraestrutura.

Marcaram presença no evento o deputado federal Lindomar Garçon, os deputados estaduais Léo Moraes e Cleiton Roque o secretário adjunto da Sedam, Francisco Sales, o presidente da Câmara de Vereadores de Porto Velho, Jurandir Bengala, entre outros.

 


Fonte
Texto: Eleni Caetano
Fotos: Daiane Mendonça
Decom – Governo de Rondônia