Escolas no Joana D’arc foram fechadas por impactos mas Santo Antonio Energia não admite responsabilidade

2013-07-27T10:51:07+00:0027 julho, 2013|

100_3131[dropcap]O[/dropcap] secretário municipal de educação, Marcos Rocha Santos, declarou nesta sexta-feira que duas escolas foram fechadas no assentamento Joana D’arc em decorrência direta dos impactos da Usina de Santo Antônio no Rio Madeira, uma por alagamento e outra por uma invasão de cobras. Entretanto, os representantes da Santo Antônio Energia se recusaram a admitir que o fato tenha relação com o lago da Usina. O episódio aconteceu na segunda reunião realizada para tratar do conflito entre agricultores e a empresa, ocorrida nesta sexta-feira (26), na sede da Superintendência do INCRA em Porto Velho, presidida pelo Ouvidor Agrário Nacional, Gercino José da Silva.

A reunião contou com a participação do superintendente do INCRA, dos Ministérios Públicos Estadual e Federal, OAB, secretarias municipais de Saúde, Educação, Assistência Social e Agricultura, de Associações de Agricultores do Joana D’arc, STTR-PVH, FETAGRO, CUT e da Santo Antônio Energia. O objetivo da reunião foi garantir o atendimento das necessidades emergenciais dos agricultores, enquanto se negocia a indenização das benfeitorias e o reassentamento dos atingidos pela Usina. O secretário Leonel Bertolin da SEMAGRIC, responsável pelas estradas vicinais, questionou que a Santo Antônio Energia não entregou o relatório detalhado das estradas que ficou de fazer, para que pudesse ser feita a comprovação pelo município.

Depois de muita insistência, pois a empresa nega ter qualquer responsabilidade, a Santo Antônio Energia aceitou participar de um grupo de trabalho, com a SEMAGRIC e o DER, para viabilizar a recuperação das estradas, mas sem se comprometer diretamente com valores ou maquinários. A Secretaria de Assistência Social (SEMAS) fará um estudo no Joana D’arc para verificar as condições de vida dos agricultores, inclusive quanto à segurança alimentar. Além disso, a SEMAS coordenará o apoio, através de diversas secretarias, às famílias que permanecerão acampadas, por tempo indeterminado, em frente ao escritório da Santo Antonio Energia em Porto Velho.

O secretário adjunto da Secretaria Municipal de Saúde admitiu que o assentamento, em relação à saúde, está abandonado há muitos anos. O secretário assumiu compromisso de utilizar os recursos das compensações, administrados pela Santo Antônio Energia, de acordo as determinações da Secretaria, que ainda disponíveis para contratar um médico, que está faltando para completar equipe médica, que irá atender os assentados nos finais de semana. Também será desenvolvido um trabalho com agentes de saúde, especialmente para combater mosquitos transmissores de doença.

Para o STTR, FETAGRO e CUT a reunião foi mais uma oportunidade para comprovação das denúncias dos agricultores do Joana D’arc, de que foram atingidos por impactos diversos decorrentes da construção da Usina, como a destruição das estradas vicinais e o fechamento de duas escolas, uma por alagamento e outra por invasão de cobras. As crianças destas duas escolas transferidas para uma outra distante 60 Km, que devido as péssimas condições das estradas, elas gastam em média cinco horas de viagem para ir e voltar. A secretaria ficou de fazer um novo estudo para viabilizar uma nova escola mais perto.

[tabs]
[tab title=”Rondônia Em Pauta”]CUT-RO[/tab]
[/tabs]

[print-me]

Leave A Comment

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Informações para contato

Mobile: (69) 9 9929-6909

Web: rondoniaempauta.com.br