“A cidade que não existe mais” é o título do livro de Júlio Olivar que relata a história de Santo Antônio do Rio Madeira, município que deu origem ao estado de Rondônia. O lançamento oficial será dia 28 de julho, às 19h, na Biblioteca Francisco Meirelles, em Porto Velho, com a apresentação dos alunos da Faculdade de Música Fimca/Metropolitana e cerimonial conduzido pela Academia Rondoniense de Letras.

Santo Antônio foi fundado por jesuítas no século XVII, mas consolidou-se cem anos depois como vilarejo localizado ao extremo norte do Mato Grosso. Tornou-se o maior município do planeta, fazendo fronteira com três estados e a Bolívia. Em seu território estavam os milhares de indígenas, os maiores seringais, o Forte Príncipe da Beira e 259 km da Estrada de Ferro Madeira-Mamoré (apenas 7 km da ferrovia eram em Porto Velho, então pertencente ao Amazonas).

Ponto final da linha telegráfica Cuiabá-Santo Antônio, aberta pela Comissão Rondon, a cidade foi a única formalmente extinta em todo o Brasil. Para entender como nasceram os poderes construídos, o comércio, a Igreja Católica, a cultura e quem foram de fato os pioneiros da ocupação de Rondônia, é imprescindível a leitura do livro de Júlio Olivar. Relatos do escritor Mário de Andrade, do sanitarista Oswaldo Cruz e do político Ruy Barbosa são trazidos a lume nesta obra e confirmam a importância de Santo Antônio. Foi uma região rica por causa da exportação de látex e, ao mesmo tempo, uma área miserável usada para degredar centenas de perseguidos políticos no governo do presidente Hermes da Fonseca.

A-cidade-que-não-existe-mais1

SERVIÇO

• Lançamento do livro “A cidade que não existe mais”

• Autor: Júlio Olivar

• Editora: Temática

• Preço promocional no lançamento: R$ 30

• Local: Biblioteca Francisco Meirelles

• Data: 28 de julho

• Hora: 19h

Taciana Guzman
Assessoria de Imprensa DRT 281 AM