Eles são responsáveis por orientar a população a práticas saudáveis de alimentação e estão presentes em diversos órgãos públicos do governo de Rondônia. Nesta data (31/8) que se comemora o Dia do Nutricionista, um alerta à população, ‘‘é preciso descascar mais e desembalar menos’’, afirma a nutricionista da Secretaria de Estado da Justiça (Sejus), Paula Martins.

A praticidade e a correria da sociedade moderna são apontadas como principais fatores para a população se alimentar mal. É assim que muita gente acaba por trocar sucos naturais por refrigerantes, por exemplo. Mas para a nutricionista, o problema pode ser superado com planejamento e combatendo a falta de informação quanto aos nutrientes presentes nos alimentos.

Mas, se por um lado não ter informação sobre práticas de alimentação saudável é ruim, ainda é pior quando as informações são erradas. A nutricionista adverte sobre os riscos de seguir recomendações de pessoas que não têm formação acadêmica.

‘‘A nutrição hoje em dia está na moda. Têm muitas pessoas querendo falar sobre isso, diversas pessoas querendo passar informações, mas não são nutricionistas. Cada pessoa tem sua necessidade nutricional e sua individualidade biológica. O que faz ela precisar de um determinado tipo de alimento e em uma quantidade específica e se você não souber orientar um alimento que faria bem a saúde, acaba promovendo doenças’’, destaca.

A nutricionista recomenda a escolha pelos alimentos naturais. ‘‘Prefira alimentos em sua forma natural como frutas e verduras’’. Por Rondônia está localizada na região amazônica, a oferta de alimentos ‘do bem’ é uma vantagem a mais para a população. ‘‘Temos alimentos muito ricos como os peixes, bananas da terra, castanhas,31 açaí e tapioca’’, recomenda.

É preciso deixar de lado aquelas comidas prontas, mas pobres em nutrientes. ‘‘A gente tende a querer tudo o que está embalado e o melhor são os naturais’’. Quando a população de alimenta mal, a saúde fica em risco. ‘‘O reflexo disso no Brasil é o sobrepeso e obesidade, além da diabetes e hipertensão. Doenças que estão presentes em jovens e até crianças. Isso tem seu fator genético, mas também é resultado do mau hábito alimentar’’.

A nutricionista Paula Martins explica a importância dos profissionais  nos órgãos públicos do governo

Ela ainda orienta a observar o local onde será feito a aquisição dos alimentos seja mercado ou feiras e observar a higiene. ‘‘É possível superar esse desafio de tornar a alimentação saudável um hábito e nós profissionais da nutrição estamos aqui para apoiar. A nossa missão é ensinar as pessoas a escolher alimentos priorizando os que promovam a saúde’’, afirma.

PROFISSÃO RECONHECIDA

A profissão do nutricionista é considerada nova no Brasil. Foi em 1991 através da lei 8.234 que os termos técnicos a profissão foram regulamentados e o nutricionista reconhecido como profissional da saúde. As atribuições específicas da profissão foram definidas na resolução do Conselho Federal de Nutricionistas (CFN), n° 380 de 2005 e o Código de Ética através da resolução do Conselho Federal de Nutricionistas (CFN), nº334 de 2004.

Os profissionais são estratégicos para a promoção da saúde pública. O governo de Rondônia possui 78 nutricionistas em cargos efetivos que garantem a boa alimentação dos estudantes de escolas estaduais de Rondônia, da população atendida pelo restaurante popular Prato Cheio, dos idosos da Casa do Ancião São Vicente de Paulo, de pacientes de unidades de saúde e reeducandos do sistema carcerário do Estado.

A nutricionista Paula é responsável pela fiscalização da alimentação em todas as unidades prisionais de Rondônia. ‘‘A gente fiscaliza desde a aquisição dos alimentos até a alimentação ser entregue aos reeducandos, seguindo um parâmetro de qualidade tanto de vigilância sanitária quanto nutricional. Tudo é calculado, escolhido conforme a melhor qualidade, os fornecedores desses alimentos são fiscalizados com frequência’’.

Reeducandos, estudantes, idosos, todos precisam está mobilizados a comer de forma correta e os nutricionistas cumprem a missão de apontar o rumo certo na garantia de uma sociedade saudável.

Leia mais.

Programa Estadual de Alimentação garante refeições para alunos baseadas nas recomendações nutricionais
Merenda escolar valoriza o peixe pelo segundo ano consecutivo e diversifica frutas regionais
 Alface limpa de horticultores da zona leste abastece Restaurante Prato Cheio e merenda escolar em Porto Velho

Fonte
Texto: Vanessa Moura
Fotos: Daiane Mendonça e Jeferson Mota
Secom – Governo de Rondônia