Reserva indígena é localizada na região de União Bandeirante, distrito de Porto Velho. Segundo Funai as invasões são acobertadas por supostas associações.

Funai e Polícia Militar Ambiental de Rondônia durante fiscalização em reserva indígena dos Karipunas, RO — Foto: Rede Amazônica/ Reprodução

A Fundação Nacional do Índio (Funai) e a Polícia Militar Ambiental de Rondônia iniciaram na terça-feira (30), uma operação contra grilagem de terra e exploração ilegal de madeira na reserva indígena dos Karipunas, na região de União Bandeirante, distrito de Porto Velho.

Os principais acessos à reserva Karipuna foram bloqueados durante a tentativa de coibir os crimes ambientais, flagrar veículos e pessoas na região.

A Funai diz que as invasões tem aumentado nos últimos seis meses em áreas de proteção em Rondônia, como terras indígenas e parques nacionais, incluindo a dos índios Karipunas, que levaram as denúncias ao Ministério Público Federal (MPF). A estimativa é de que 30% da área já foi desmatada.

Fiscais usam um drone para ajudar a identificar pontos de desmatamento e veículos pesados em meio a floresta e também seguem a pé em busca de acampamentos de grileiros de terra.

Principais acessos à reserva Karipuna foram bloqueados durante fiscalização em RO  — Foto: Rede Amazônica/ Reprodução
Principais acessos à reserva Karipuna foram bloqueados durante fiscalização em RO — Foto: Rede Amazônica/ Reprodução

Pelo caminho é possível observar os vestígios dos danos ambientais, a madeira que não tem bom valor comercial fica pra trás. Onde existem riachos que impedem a passagem, os invasores constroem pontes improvisadas também usando as toras.

Segundo Hercules Silva Schiave, chefe do serviço de gestão ambiental da Funai, as invasões são acobertadas por supostas associações.

“Até por depoimento dos próprios presos indicam que tem dentro de União Bandeirante associação que viabiliza essa entrada, tem um responsável por fazer a topografia da área e outro assessora os invasores”, comenta Hercules.

G1 – RO