14 ônibus são ‘sequestrados’ de garagem durante greve de motoristas em Porto Velho, diz consórcio

2018-07-10T10:50:32+00:0010 julho, 2018|

Consórcio diz que veículos foram tirados à força da garagem. Paralisação começou na madrugada desta terça-feira (10).

Garagem de ônibus durante a madrugada em Porto Velho (Foto: Rede Amazônica/Reprodução)

Quatorze ônibus do Sistema Integrado Municipal (SIM) foram “sequestrados” durante a greve dos motoristas e cobradores de Porto Velho, nesta terça-feira (10). A informação do sequestro foi divulgada pelo consórcio na página oficial do Facebook, às 9h34, e através de uma nota à imprensa.

A paralisação dos trabalhadores começou durante a madrugada em protesto ao projeto de “Táxi Compartilhado”. Segundo o Consórcio SIM, os veículos foram retirados à força da garagem da empresa, antes do dia amanhecer.

Em nota, o SIM diz que não apoia ou compactua com movimentos desta natureza, pois são prejudiciais à população da capital.

Consórcio divulgou nota na rede social (Foto: Facebook/Reprodução)

A empresa diz que está tomando todas as medidas judiciais necessárias para que o transporte coletivo seja normalizado em Porto Velho.

G1 está tentando contato com o Sindicato dos Trabalhadores do Transporte Coletivo do Estado de Rondônia (Sintetuperon) sobre o “sequestro” dos veículos, mas não conseguiu contato até a publicação da reportagem.

Os trabalhadores alegam prejuízos com a falta de regulamentação do serviço de táxi compartilhado, que está ativo na capital e já havia sido o motivo de outra paralisação em março deste ano, quando ficou acordado um prazo de 90 dias para a regulamentação.

Moradores prejudicados

Sem a saída dos ônibus da garagem, vários moradores ficaram esperando nas paradas da cidade. Logo cedo a equipe de reportagem da Rede Amazônica encontrou pouco movimento nos pontos, pois a informação sobre a greve circulou nas redes sociais e muitos usuários acabaram adotando um plano B.

Mas teve gente que não sabia da paralisação e acabou sendo prejudicada.

Táxi Compartilhado

O projeto de serviço do Táxi Compartilhado iria ser votado na Câmara de Vereadores na segunda-feira (9), mas precisou ser adiado por ter ultrapassado o tempo de início da votação que, segundo regimento interno da Casa de Leis, precisaria ser iniciada até às 15h50.

Antes do possível início da sessão, os taxistas e os funcionários do consórcio do Sistema Integrado Municipal (Sim) se envolveram em um tumulto. O motivo foi a falta de espaço dentro do local para acompanhar a votação. Em meio à confusão, o vidro do salão de julgamento foi derrubado.

A PM foi chamada no local para controlar o público.

Serviço de táxi compartilhado funciona há meses, em Porto Velho (Foto: Hosana Morais/G1)

Os taxistas esperam alterar os dispositivos da Lei 717/2018, que contempla os aplicativos de mobilidade urbana na capital, incluindo o sistema de táxi compartilhado.

A solução, segundo os taxistas, é que o serviço, atualmente ofertado a R$ 5, fosse regulamentado como um aplicativo.

G1

Informações para contato

Mobile: (69) 9 9929-6909

Web: rondoniaempauta.com.br