Empresa vai destinar 10% do faturamento das passagens dos ônibus do próximo domingo, dia 24, para auxiliar custos da unidade e na construção do Hospital do Câncer da Amazônia.

Primeira-etapa-do-Hospital-do-Câncer-da-Amazônia-deve-ser-concluída-este-anoO Consórcio do Sistema Integrado Municipal de Transporte de Passageiros (SIM) vai doar 10% de todo o faturamento das passagens dos ônibus utilizadas no próximo domingo, dia 24 de janeiro, para o Hospital do Câncer de Barretos – Porto Velho (HCB). A doação será destinada para auxiliar na manutenção da unidade e para a construção do Hospital do Câncer da Amazônia, que funcionará na capital.

A expectativa do Consórcio SIM é que a iniciativa incentive a utilização do transporte coletivo nesse fim de semana. Segundo a diretora executiva da empresa, Eizabete Barufaldi, além de contribuir com o HCB, a população pode aproveitar o domingo para conhecer os ônibus do SIM, deixando os carros em casa, sem ter que se preocupar com estacionamento e ainda ajudar o meio ambiente, ao reduzir a taxa de emissão de carbono na atmosfera.

O Hospital do Câncer de Barretos – Porto Velho funciona hoje dentro do Hospital de Base Dr. Ary Pinheiro e tem aproximadamente 6,3 mil pacientes cadastrados. Cerca de 170 funcionários são responsáveis pelas atividades da unidade voltadas para cumprir a meta de 500 atendimentos ao dia, entre consultas, exames, cirurgias e outros procedimentos.

Devido à alta procura, alguns pacientes ainda precisam ser encaminhados para o HC em Barretos (SP), a mais de 3 mil quilômetros de distância da capital rondoniense. Com a construção do Hospital do Câncer da Amazônia, a expectativa é atender 100% das demandas em Porto Velho.

A nova unidade ficará em um terreno de 100 mil metros quadrados, na BR-364. Na primeira etapa do projeto, que deve ser concluída ainda em 2016, serão 15 mil metros quadrados de área construída.

O Hospital do Câncer da Amazônia vai contar com quimioterapia, radioterapia, pesquisa, banco de tumores, emergência, radiologia com salas de raios-X, aparelhos de ultrassom, ressonância magnética, mamógrafo e tomografia. Além disso, a unidade terá laboratório de análises clínicas com seis salas de coleta e duas salas de exames, ambulatório com 20 consultórios, centro cirúrgico com quatro salas cirúrgicas, internação geral com 24 leitos, pediátrica com 16 leitos, indígena com 20 leitos e unidade de terapia intensiva (UTI) com oito leitos.

Assessoria