Reunião na Casa Civil do governo poderá abrir negociações entre DETRAN e servidores em greve

imageEm reunião realizada nesta terça-feira (14), entre o chefe da Casa Civil do governador Confúcio Moura, Marco Antônio Faria, e representantes do Sindicato dos Servidores do Detran (SINSDET), presidente Carlos André e outros diretores, com a participação da Central Única dos Trabalhadores (CUT), presidente Itamar Ferreira e o vice José Cícero Alves, foram debatidos os impasses que resultaram na atual greve dos servidores do DETRAN. Os representantes do Sindicato manifestaram indignação com a postura da direção da Autarquia, que após quase dois meses de greve ainda não realizou uma única negociação concreta e ainda tentou retaliar os servidores descontando os dias de greve no mês de dezembro.

O Chefe da Casa Civil solicitou que o SINDEST encaminhasse urgente para ele a pauta com todas as reivindicações, em seguida ele ouvirá a área técnica do governo e do DETRAN para realizar uma nova reunião com os representantes da categoria; após esta fase, ele pretende iniciar concretamente as negociações, na Mesa de Negociação Permanente (MENP), com a participação do DETRAN. O presidente do SINSDET foi enfático ao ressaltar o descrédito dos servidores em relação as negociações, inclusive com a MENP onde já houve uma tentativa que não avançou em nada. Marco Antônio garantiu que ele fará o acompanhamento dessa nova fase de negociações, sendo que já houve uma determinação do governador para que se tente construir um acordo com os servidores em greve.

Para o presidente da CUT, é natural a desconfiança dos servidores; entretanto, mantida a greve é necessário buscar todos os canais possíveis de negociação; sendo necessário um voto de confiança na atuação do Chefe da Casa Civil. Para CUT a postura da direção do DETRAN até o momento, sob o comando do diretor geral Aírton Gurgacz, tem sido muito infeliz ao apostar na falta de diálogo, numa possível decisão judicial contra a greve e no desconto dos dias parados para tentar acabar com a greve; além de não acabar, só fortaleceu o movimento e quem está sendo mais prejudicada é a população, que espera horas, as vezes dias, e não consegue resolver os problemas de documentação e novas habilitações. A expectativa é que ocorra avanços e que uma proposta aceitável seja apresentada aos servidores com a maior brevidade possível.

O presidente do SINDEST denuncia a precariedade no atendimento do DETRAN em todo Estado tem várias causas, sendo as principais: a falta de investimento em instalações adequadas, muitas das quais são alugadas, adaptadas e estão sem manutenção; equipamentos obsoletos e insuficientes; falta de funcionários e excesso de cargos comissionados, em torno de 30%; falta de investimentos no setor de informática que constantemente deixa a Autarquia sem sistema. Além das condições de trabalho o Sindicato denuncia o descaso com os servidores, que precisam de revisão no Plano de Carreira Cargos e Remuneração (PCCR); aprovação de leis que retiraram direitos, como o de participação no Conselho da Autarquia e a proibição de comissionados na área de informática.

CUT RO