Atendimento precário mata mais do que a falta de acesso a médicos, diz estudo