Ocupação de leitos na Central de Atendimento à Covid-19 pode subir rapidamente nos próximos dias

Após longa reunião por meio de videoconferência na tarde deste sábado, 6, o Comitê Gestor Municipal de Prevenção e Enfrentamento ao Coronavírus emite alerta aos vilhenenses: o lockdown (fechamento de atividades comerciais) pode acontecer dentro de poucos dias, caso a escalada da pandemia continue aumentando sua velocidade como foi observado na última semana. Prejudicial para todos, o fechamento pode ser evitado, também, com a colaboração de todos no cumprimento das medidas de segurança em Saúde.

Durante as três horas de análise da situação epidemiológica do município e os cenários que se desenham para as próximas semanas, a maioria dos membros do Comitê considerou necessário aumentar as restrições no município por meio de alterações mais rígidas no decreto municipal, que poderão valer a partir da quarta-feira que vem.

Havia 7 pacientes internados na Central de Atendimento à Covid-19 no fechamento do Boletim Diário do Coronavírus, publicado pela Secretaria Municipal de Comunicação com dados da Secretaria Municipal de Saúde. Porém, durante o dia o local chegou a abrigar 9 pacientes internados além de outros 18 casos positivos de covid-19 procuraram atendimento de pronto-socorro.

O indicador de ocupação, disponível no Painel Covid-19 Vilhena (www.bit.ly/painelcovidvilhena) é importante pois, conforme a lei municipal n° 5.285, de 17 de abril (www.bit.ly/lei5285), quando o município alcançar 80% de ocupação de seus leitos destinados à covid-19, estará autorizado a adotar o lockdown, se as autoridades de Saúde assim recomendarem.

Diante deste quadro, o Comitê reforça veementemente que todos redobrem os cuidados no uso de máscara, em evitar aglomerações e contato físico, abolir festas particulares, criar por hábito lavar as mãos várias vezes ao dia, deixar de tocar os olhos, nariz e boca sem antes higienizar as mãos, proceder à limpeza periódica do ambiente de trabalho, não compartilhar objetos de uso pessoal (como bombas de chimarrão, tereré, narguile, copos, talheres e outros), bem como nunca tocar a máscara após colocada, nem retirá-la para falar.

Esses e outros cuidados adicionais permitirão que a curva de contágio seja mais lenta, o que poderá evitar o fechamento de atividades comerciais, como já aconteceu recentemente em duas cidades do Estado: Porto Velho e São Miguel do Guaporé.

Como medidas adicionais de prevenção, o Comitê estudou ontem a possibilidade de estender a duração das barreiras sanitárias para até 22h na BR-364, a busca de mais profissionais de Saúde, a intensificação das orientações de cuidados para a população no município e o início de uma investigação minuciosa, caso a caso, para procurar identificar as fontes de contágio mais prováveis da cidade.

A Prefeitura de Vilhena também interditou diversas áreas públicas neste fim de semana e realizou fiscalização rigorosa em mototaxistas, taxistas e aplicativos de transporte. As barreiras sanitárias continuam atendendo quase 2 mil pessoas por dia na BR-364, saída para Porto Velho.

Semcom