Um paciente continua internado em isolamento no Regional, com tosse e falta de ar

A direção do Hospital Regional de Vilhena (HRV) detalhou no início da tarde desta sexta-feira, 27, o atendimento dado a dois pacientes considerados suspeitos de coronavírus (covid-19). As várias medidas de segurança e ações para proteção de pacientes, profissionais e população em geral foram explicadas.

De acordo com o diretor geral do HRV, Faiçal Akkari, um paciente idoso vindo do hospital Bom Jesus deu entrada ontem no Regional diretamente para a UTI após complicações respiratórias.

“Fizemos toda a acolhida do paciente e o atendemos com os cuidados necessários para a gravidade do caso. O paciente, infelizmente, veio a óbito. Apesar de ele não se enquadrar nos protocolos clínicos de caso suspeito de covid-19, o Ministério da Saúde determina que todos pacientes que falecerem de problemas respiratórios devem ser examinados para coronavírus. E assim foi feito. A amostra foi colhida e enviada, mesmo que as análises dos profissionais indiquem infecção pulmonar por bactéria”, explica Faiçal.

André Oliveira, médico e diretor clínico do Hospital Regional, explica que este paciente idoso que faleceu não se enquadrava em caso suspeito pois os exames não indicavam sinais de covid-19, mas passou a ser considerado suspeito para fins oficiais após a coleta da amostra.

“Há três hipóteses para um paciente ser considerado suspeito, segundo o Ministério da Saúde. Se ele veio do exterior, se ele veio de estado com casos confirmados e teve contato com caso suspeito ou se teve contato com casos confirmados. Esse paciente foi diagnosticado com pneumonia bacteriana e não correspondia a nenhum desses pontos. Mesmo assim, o Governo solicita o exame, tendo em vista a transmissão comunitária estar decretada em todo o país. A partir da coleta, ele se torna suspeito como parte do registro nacional”, revela André.

Também nesta quinta-feira, 26, foi internado no HRV um paciente que era acompanhado pela Secretaria Municipal de Saúde desde o dia 18 de março como suspeito de estar com covid-19. Apresentando tosse e falta de ar, o paciente está em leito de isolamento, recebendo atendimento próprio para o caso e dando sinais de melhora nesta sexta-feira.

A direção conta que o hospital está funcionando de maneira especial para evitar as contaminações. Há faixas de isolamento, distanciamento entre as cadeiras, tendas especiais para a triagem na recepção, equipamentos especiais para os profissionais, álcool em gel, máscaras e diversas recomendações adicionais.

“Quando um profissional de Saúde adentra a zona de isolamento de um paciente suspeito, o faz com diversos equipamentos de proteção que são descartados imediatamente após o atendimento ser finalizado. Há muitos cuidados que são tomados e isso garante a segurança do paciente, do profissional de saúde, dos demais internados e da população em geral”, assegura Faiçal.

Os leitos emergenciais de atendimento a casos graves de covid-19 que possam vir a surgir na cidade estão em preparação no CEV (Centro de Especialidades Vilhenense) e devem começar a funcionar nos próximos dias.

Semcom