Parentes alegam que paciente recebeu alta com a pressão não estabilizada. Unidade de saúde afirma que mulher estava em perfeitas condições ao deixar hospital.


Mulher ficou sete dias internada no Hospital Regional — Foto: Dennis Weber/ G1

Mulher ficou sete dias internada no Hospital Regional — Foto: Dennis Weber/ G1

A família de uma paciente, de 51 anos, procurou a Delegacia de Polícia Civil nesta semana, para registrar um suposto caso de negligência do Hospital Regional, em Vilhena (RO), na região do Cone Sul. A mulher sofreu um acidente de trânsito e ficou sete dias internada. Porém, ela voltou a passar mal, retornou à unidade de saúde e faleceu. Familiares alegam que a paciente recebeu alta com a pressão não estabilizada, o que pode ter influenciado na morte dela.

A mulher sofreu um acidente no dia 15 de janeiro deste ano, no cruzamento da BR-174 com Avenida Tancredo Neves. Ela conduzia uma motocicleta pela rodovia, quando foi atingida por um carro, dirigido por um mulher de 62 anos.

Segundo a família, a mulher sofreu uma fratura exposta na perna esquerda, passou por cirurgia e ficou internada por sete dias. Ela recebeu alta na segunda-feira (21), contudo, passou mal no mesmo dia e voltou para o Hospital Regional, onde faleceu em seguida.

De acordo com os familiares, a paciente estava com pressão alta desde o dia do acidente. Ela teria recebido alta com a pressão não estabilizada e isso pode ter influenciado na morte, segundo os parentes. Por causa disso, registraram um boletim de ocorrência.

Em nota, o Hospital Regional afirma que durante a internação, “a paciente esteve sempre com todos os sinais vitais estáveis e controlados”. Além disso, a unidade enfatizou que a mulher estava em perfeitas condições de receber alta. (Veja a nota na íntegra abaixo).

A Polícia Civil informou que um inquérito será aberto para investigar o homicídio culposo no trânsito, bem como eventual negligência por parte do hospital.

Veja a nota do hospital na íntegra:

Em razão de notícias divulgadas em veículos de comunicação, sugerindo que uma mulher possa ter ido a óbito após sair do Hospital Regional de Vilhena com pressão alta, ao tempo em que nos solidarizamos com os familiares pela perda de um ente querido, esclarecemos o seguinte:

A paciente deu entrada neste hospital com fratura e passou por cirurgia. Durante o tempo de internação, a paciente esteve sempre com todos os sinais vitais estáveis e controlados.

E, de acordo com a avaliação médica, no dia 21 de janeiro de 2019, a paciente estava hemodinâmica e clinicamente em perfeitas condições de receber alta hospitalar, tendo deixado este hospital com as orientações e receituário adequados para prosseguimento do tratamento.

A direção do Hospital Regional de Vilhena

Por Eliete Marques, G1 Vilhena e Cone Sul