Kislla Paula Alves Paixão

Kislla Paula Alves Paixão

Nota de esclarecimento 

A Secretaria Municipal de Saúde, por meio da direção do Hospital Regional Admastor Teixeira de Oliveira, informa que a paciente moradora do bairro Bela Vista Kislla Paula Alves Paixão, 20 anos, veio a óbito na manhã dessa segunda-feira 8 de julho em decorrência de mal súbito.

De acordo com o médico obstetra Renato Bueno, chefe do Serviço de Obstetrícia, que realizou o parto cesariana da paciente no dia 24 junho, tudo ocorreu dentro da normalidade, não havendo nenhuma complicação pós – parto. “Foi tudo tranqüilo”, garantiu o médico.

Segundo o obstetra a paciente teve alta dois dias depois. “Ela estava bem, super feliz pelo nascimento da sua primeira filha, eu acompanhei de perto essa paciente, ela saiu bem do hospital”, garantiu.

Conforme o prontuário do hospital ela retornou após 14 dias ao Hospital Regional com inchaço na barriga e foi atendida imediatamente e submetida a cirurgia para drenar um hematoma subaponeurótico no local da cesariana, que provavelmente foi ocasionado pelo rompimento de uma veia decorrente de uma tosse alérgica que a paciente apresentava, durante todo final da gestação.

Tanto a direção do Hospital Regional quanto o médico obstetra afirmaram que em nenhum momento a jovem ficou sem receber atendimento e cuidados médicos.

Com prontuário em mãos o diretor do Hospital Regional, Adilson Rodrigues, junto com médico Renato Bueno, explicaram que a mesma deu entrada às 9 horas da manhã do dia 7 de julho, foi atendida pelo médico de plantão, e encaminhada para cirurgia que terminou as 12 horas para drenagem do hematoma. Conforme Bueno, tudo ocorreu bem, ela voltou para o quarto e passou bem durante todo o dia.

“E sobre a informação que os familiares ouviram que pessoas do HR teriam dito que a assepsia da primeira operação foi mal feita antes de costurarem a paciente, isso não procede”, declarou o médico que realizou a cesariana.

A paciente por volta das 6h 30 mim de hoje (8 de julho) começou a passar mal. “Entendemos que ela teve possivelmente um novo sangramento durante a madrugada e evoluiu com choque hipovolêmico (a perda de aproximadamente um quinto do volume sanguíneo normal, por qualquer causa, pode causar choque hipovolêmico). Isto inclui sangramento do intestino ou estômago, outros sangramentos internos, sangramentos externos (por cortes, lesões, ferimentos perfurocortantes) ou perda de volume sanguíneo e líquidos do corpo (como pode ocorrer com diarréia, vômitos, obstrução intestinal, inflamações, queimaduras e outros)”.

Os médicos também não descartaram a possibilidade de uma embolia pulmonar, tendo em vista que ela passou bem a noite. “Infelizmente ela perdeu muito sangue e precisou de uma transfusão, foi reanimada e recebeu todos os procedimentos cabíveis, eu inclusive acompanhei tudo de perto, a equipe fez o que era possível mais infelizmente a jovem veio a óbito”, declarou o diretor do hospital.

A equipe médica, a equipe de enfermagem, a direção do HR e o prefeito Zé Rover, ficaram abalados com a situação e lamentaram profundamente essa perda.

Semcom

[print-me]