Funcionários de frigorífico em Chupinguaia estão infectados com o novo coronavírus. — Foto: REUTERS/Paulo Whitaker

Funcionários de frigorífico em Chupinguaia estão infectados com o novo coronavírus. — Foto: REUTERS/Paulo Whitaker

O Ministério Público de Rondônia (MP-RO) encaminhou um ofício ao prefeito de Alto Alegre dos Parecis (RO), Marco Aurélio Marques Flores, para tomar medidas mais rígidas com relação ao aumento de casos de Covid-19 no município. Conforme o órgão, nove moradores da cidade, que são colaboradores de um frigorífico em Chupinguaia, foram infectados com o Sars-Cov-2.

A denúncia sobre as contaminações ao MP partiu da Secretaria Municipal de Saúde de Alto Alegre dos Parecis.

O comitê de enfrentamento da Covid-19 da cidade disse que todos os funcionários já estão em isolamento domiciliar há 8 dias e que os familiares, além de outras pessoas que tiveram contato com eles, foram procurados. Reforçou ainda que os pacientes passam bem e que nenhum deles precisou ser internado.

A promotoria de Vilhena, município onde corre a ação, informou que recebeu o encaminhamento do Ministério Público de Santa Luzia nesta terça-feira (28) e que já cobrou do frigorífico de Chupinguaia um plano de contingência contra a disseminação do novo coronavírus.

De acordo com a promotoria, a empresa tem 48 horas para dar retorno. Nesse período, a Secretaria Municipal de Saúde irá acompanhar os trabalhos de prevenção dentro do frigorífico. O caso segue em segredo de Justiça.

A prefeitura de Chupinguaia, que soma 78 casos confirmados do novo coronavírus, publicou um decreto na segunda-feira (27) exigindo o uso de máscara, limite de 15 pessoas em estabelecimentos comerciais, além de acesso ao álcool em gel. Os efeitos da ordem municipal se estende por 15 dias

A reportagem entrou em contato com a empresa por e-mail para um posicionamento e aguarda resposta. Também tentou contato por telefone, mas as ligações não foram atendidas ou retornadas até a última atualização desta reportagem.

Por Fábio Diniz, Rede Amazônica