Prefeitura de Vilhena implanta Programa de Atenção Domiciliar Melhor em Casa

2013-08-20T10:07:11+00:0020 agosto, 2013|

DSC_0359O município de Vilhena tem investido maciçamente nos programas que atende a saúde no âmbito da Atenção Básica, entendendo que uma Atenção Básica de Saúde que vem ocorrendo no país com objetivo de fortalecer as estratégias, mecanismos e práticas inovadoras de cuidado em saúde, com destaque para o surgimento de formas de cuidar próximas ao domicílio, como a Estratégia da Saúde da Família (ESF).

De acordo com a Secretaria de Saúde esse Projeto “Atenção Domiciliar Melhor em casa” é uma parceria do município de Vilhena com o Ministério da Saúde e vem com o objetivo de melhorar o acesso e qualidade em saúde e diminuir internação hospital. “Tanto o Secretário de Saúde, Vivaldo Carneiro, e o prefeito Zé Rover, apoiaram e aprovaram a implantação desse novo programa, entendendo que muitos pacientes em situações especiais serão alcançados”, explicou a coordenadora Tatiana Almeida Guides.

Segundo a coordenadora, o Programa Melhor em Casa destina-se a usuários que possuam problema de saúde com dificuldade ou impossibilidade física de locomoção até uma Unidade de Saúde e que necessitem de cuidado com mais frequência, recursos de saúde, acompanhamento contínuo, podendo ser oriundos de diferentes serviços da rede de atenção, e intensidade de cuidados maior que a capacidade da rede básica. E que façam uso de equipamentos específicos, como suporte ventilatório.

“É bom salientar que esse programa não atende pacientes com necessidade de acompanhamento da equipe 24 horas, pacientes com atendimento de urgência e emergência ou pacientes com ausência de cuidador. O atendimento acontece duas vezes por semana e a equipe multiprofissional que acompanha as visitas domiciliar é: uma clinica geral, uma enfermeira, técnica de enfermagem, fisioterapeuta, uma motorista que leva a equipe nas casas, além de contar com uma equipe de apoio composta por uma assistente social, uma farmacêutica e odontóloga”, declarou a coordenadora.

 O Paciente e o tratamento

O paciente Valdemiro Matias de 74 anos (49 anos fumante) morador do bairro Jardim América, sofre com DPOC – Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica, uma doença proeminente de fumantes. Valdemiro é um dos pacientes cadastrados no Programa Atenção Domiciliar-Melhor em Casa, sua filha Márcia Santos contou a nossa reportagem que seu pai não pode pegar nenhum tipo de infecção respiratória, além do problema de na perna que o impede de se locomover. A internação no hospital potencializa o risco de adquirir qualquer infecção, ele fica 15 horas no balão de oxigênio.

Márcia contou que vive 100% em função do seu pai, esse programa tem facilitado a vida de toda família. “Graças a Deus até as sessões de fisioterapia motora e respiratória são realizadas no conforto do nosso lar, esse programa é excelente para nossa realidade”, afirmou a filha e cuidadora do senhor Valdemiro.

São critérios para serem atendidos pela Atenção domiciliar:

Presença de um Cuidador seja da família ou não.

Demanda por procedimentos de maior complexidade, que podem ser realizados no domicílio, tais como: curativos complexos e drenagem de abscesso, entre outros.

Dependência de monitoramento freqüente de sinais vitais;

Necessidade frequente de exames de laboratório de menor complexidade;

Adaptação do paciente e/ou cuidador ao uso do dispositivo de traqueostomia;

 Adaptação do paciente ao uso de órteses/próteses;

Adaptação de pacientes ao uso de sondas e ostomias;

Acompanhamento domiciliar em pós-operatório;

Reabilitação de pessoas com deficiência permanente ou transitória, que necessitem de atendimento contínuo, até apresentarem condições de frequentarem serviços de reabilitação;

Uso de aspirador de vias aéreas para higiene;

Acompanhamento de ganho ponderal de recém nascidos de baixo peso;

Necessidade de atenção nutricional permanente ou transitória;

Necessidade de cuidados paliativos;

Necessidade de medicação endovenosa ou subcutânea; ou

Necessidade de fisioterapia semanal.

Necessidade do uso de, no mínimo, um dos seguintes equipamentos/procedimentos:

a)      oxigenoterapia e suporte ventilatório não invasivo (Pressão Positiva Contínua nas Vias Aéreas – CPAP, Pressão Aérea Positiva por Dois Níveis – BIPAP, Concentrador de O2

       b) diálise peritoneal;

       c) paracentese;

O local para atendimento do Programa é no Hospital Regional Adamastor Teixeira de Oliveira, de segunda a sexta das 7h até 13h, telefone para contato 192.

[tabs]
[tab title=”Rondônia Em Pauta”]Semcom[/tab]
[/tabs]

[print-me]

Leave A Comment

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Informações para contato

Mobile: (69) 9 9929-6909

Web: rondoniaempauta.com.br