encerramento-do-proj-(1)Durante o evento foram apresentadas as ações desenvolvidas com os alunos

[dropcap]A[/dropcap]conteceu ontem, 21, no auditório do Ministério Público o encerramento do Projeto de Combate a Indisciplina e Violência nas Escolas – “Harmonizar para Disciplinar”, com apoio da secretaria de educação municipal (Semed) e estadual (Seduc), e acompanhamento da Promotora de Justiça Yara Travalon. Participaram do evento os orientadores, supervisores e alunos da rede pública de Vilhena.

Conforme os três anos anteriores, o projeto foi desenvolvido nas escolas, no período de 06 a 10 de maio e na solenidade de encerramento as equipes escolares apresentaram as ações desenvolvidas neste ano.

Durante o evento o secretário municipal de educação, José Carlos Arrigo explicou sobre a necessidade da harmonia no ambiente escolar e da participação dos pais, “entre as ações de destaque está a adesão ao programa Mais Educação, por meio do qual o aluno fica mais tempo no convívio escolar, sendo que as vagas dos cursos priorizam os que vivem em situação de vulnerabilidade”, disse.

Arrigo informou ainda que a cobrança do Ministério da Educação está cada vez mais voltada para a adequação Família X Escola. Essa exigência amplia ainda mais a responsabilidade das escolas. “Participei na semana passada do 14º Fórum de Dirigentes Municipais de Educação, em Mata de São João (BA), onde estiveram reunidos cerca de 1.150, secretários municipais de educação, representantes de governos e entidades da área, para discutir os desafios das redes públicas; durante todo o evento o foco foi a intervenção da escola nos problemas sociais das famílias”, afirmou.

A anfitriã e idealizadora do projeto, a promotora de justiça Yara Travalon enfatizou que este é o quarto ano do projeto e a meta é transformar o tema Indisciplina e Violências nas escolas em um problema do passado. “No geral os profissionais vivem “como polvos”, ou seja, com muitas funções e assim tem sido a atuação tanto das escolas quanto do Ministério Público”, disse.

A promotora falou ainda sobre a atuação do professor como inibidor de indisciplina e que a parceria já tem gerando resultado positivo como, por exemplo, a diminuição do número de ofícios que recebe diariamente.

“Nós precisamos somar forças, pois entre toda esta problemática está a desestrutura familiar e omissão. A maioria das denúncias de violências cometidas contra as crianças e adolescentes, até mesmo as sexuais, são trazidas pelas escolas que tem mais contato com os alunos do que os próprios pais”, concluiu.

[tabs]
[tab title=”Rondônia Em Pauta”]Da Assessoria[/tab]
[/tabs]

[print-me]