DSCN1686A greve é por tempo indeterminado e só serão mantidos em funcionamento os serviços básicos como audiências de réu preso porque vai decidir a vida dele e as medidas cautelares

[pullquote]Os grevistas também reivindicaram a reforma das instalações do Fórum Desembargador Leal Fagundes que está em situação precária, com o mato alto, goteiras e ar condicionado defeituoso.[/pullquote]

[dropcap]“J[/dropcap]uiz não tem nada a ver com funcionário, eles têm salário alto a gente não tem, juiz ganha bem porque eles recebem aumento todos os anos sem pedir. Agora o nosso aumento só pode ser conquistado na pressão porque é separado”, disse o servidor Lourival.

Durante a greve os servidores terão que assinar uma folha ponto que será enviada todos os dias para o comando da greve em Porto Velho, dando garantia e legitimidade à greve.

DSCN1694A decisão foi deliberada na Assembleia Geral Extraordinária realizada no dia 24/4. Na assembleia foi formada uma comissão que se reuniu com o Presidente do TJRO. Na reunião o Presidente do TJRO afirmou que no máximo até o dia 10/5, traria os índices do reajuste salarial e do auxílio saúde. Na mesma ocasião, a Diretoria do SINJUR informou ao Presidente do TJRO que a categoria teria deliberado o dia 13/5, para o início da greve, caso as negociações não avançassem. O fato é que até o início da tarde desta sexta-feira (10/5), não houve nenhuma resposta por parte da Administração do TJRO.

Goteira no teto

Goteira no teto

“Está nítida a falta de respeito e de preocupação com a causa dos trabalhadores do Judiciário. Os demais poderes já responderam aos pleitos dos seus trabalhadores. Ontem (9/5) o prefeito de Porto Velho, fez uma contraproposta aos trabalhadores do município, na própria assembleia do Sintero, demonstrando respeito aos trabalhadores”, disse o Diretor de Finanças, Chagas Teixeira.

DSCN1693Temos que estar unidos, pois temos observado que a atual Administração do TJRO trabalha dia e noite em busca de retirar direitos dos trabalhadores, como foi o caso dos comissários de menores, dos anuênios, dos 89,22%, dos quintos e outros direitos mais. Os magistrados já estão recebendo a reposição salarial desde janeiro de 2013 e já garantiram a reposição de 2014 e 2015. E desde o in