Trabalhadores mais jovens são vistos como a chave para enfrentar a crise do vírus
Trabalhadores mais jovens são vistos como a chave para enfrentar a crise do vírus

A Indonésia lançou um programa de vacinação em massa gratuito contra a covid-19 em uma tentativa de impedir a propagação do vírus e fazer sua economia voltar a se aquecer.

Mas o país está adotando uma abordagem diferente dos demais. Em vez de vacinar os idosos na primeira fase, depois dos trabalhadores da linha de frente, ela terá como alvo os trabalhadores mais jovens com idade entre 18 e 59 anos.

A Indonésia vai usar a CoronaVac, a mesma que o Instituto Butantan fornecerá para parte da população brasileira. No Brasil, no entanto, o Ministério da Saúde vai priorizar trabalhadores de saúde e idosos.

O presidente Joko Widodo, 59, foi a primeira pessoa no país a receber a vacina na quarta-feira. O vice-presidente Ma’ruf Amin, de 77 anos, não receberá a vacina ainda porque está fora do grupo prioritário.

Por que priorizar jovens adultos que trabalham?

O professor Amin Soebandrio, que faz parte de um conselho que assessorou o governo em sua estratégia de “juventude primeiro”, argumenta que faz sentido priorizar a imunização dos trabalhadores — aqueles “que saem de casa e se espalham por todo o lugar e depois à noite voltam para casa, para suas famílias “.

“Nosso alvo é aqueles que provavelmente espalharão o vírus”, disse ele à BBC Indonésia, serviço de notícias da BBC para o país.

Ele argumenta que essa abordagem dará ao país a melhor chance de obter imunidade de rebanho, algo que ocorre quando uma grande parte de uma comunidade se torna imune por meio de vacinações ou da disseminação em massa de uma doença.

<