População do interior não quer nem saber do que acontece na Capital e discorda da decisão do STF

ivo-cassolAbrindo

O senador Ivo Cassol, que governou Rondônia por oito anos ainda é o preferido da população do Estado. E nem adianta grande parte do eleitorado da capital reclamar ou contestar. No interior, principalmente nos municípios com maior extensão rural, Cassol bate de longe qualquer pretendente ao cargo de governador. Na região do Vale do Guaporé só dá Cassol e olha que Confúcio vem ajudando, e muito essas cidades, principalmente com o asfaltamento de estradas.

Interessante

Observar que Confúcio, durante a campanha, foi um dos que mais criticou os investimentos de Cassol em estradas. O ex-governador foi o responsável pela abertura de centenas de quilômetros e pela primeira vez a população dos grotões mais distantes de Rondônia, conseguia escoar sua produção. Popular e populista, Cassol frequentava partidas de futebol nos campos de várzea espalhados por Rondônia, e isso lhe garante a dianteira em qualquer disputa.

Injustiça

Para a maioria das pessoas com as quais conversei, a opinião é unânime, Cassol foi injustiçado pelo Supremo Tribunal Federal. Em conversa com um antigo morador de Rolim de Moura, ele foi enfático ao afirmar que na época em que Ivo era prefeito do município, nenhuma empresa queria prestar serviços na cidade, “ele não roubou nem favoreceu ninguém. O pessoal dele era quem trabalhava na região e foi contratado sem nenhum tipo de direcionamento. Teve que fragmentar as licitações porque uma obra grande ia atrair essas empresas grandes que nunca terminam nenhum serviço. Prova disso são os viadutos que vocês tem lá na capital”, disse. E se olharmos por essa ótica, ele tem razão.

Outra Rondônia

Andando pelo Estado temos uma clara visão da diversidade econômica de Rondônia. Nas regiões central e Vale do Guaporé, a crise que se abate de forma tão violenta em Porto Velho é inexistente. Os centros comerciais cheios de gente, bares e restaurantes lotados e a vida segue. Ninguém quer saber de apocalipse, de Assembleia nem de Confúcio. As pessoas recebem as notícias da capital como vindas de um oriente distante. A maioria diz não querer apenas que “o governo não atrapalhe”. O distanciamento do Estado é tão grande que nem mesmo as dezenas de placas do “Governo da Cooperação” que integram a paisagem, são observadas. Sequer são usadas como pontos de referência. Ao pedir uma informação e questionar se a rua era antes ou depois de uma placa, o frentista do posto perguntou, “que placa?”. É triste essa constatação, mas a inoperância e trapalhadas do governo só complicam mesmo a vida de quem vive em Porto Velho.

Um dos principais

Problemas enfrentados por alguns prefeitos de cidades pequenas é a burocracia que não acompanha a necessidade da população. Foi o que aconteceu com Cassol. A cidade precisava, e rápido que as obras fossem feitas. Ele fez. Os ministros reconheceram que as obras foram bem feitas, dentro do preço estabelecido à época pelo mercado. Não houve dolo ao erário. E esse é um atenuante que demonstra a boa-fé.

É claro

Que Ivo Cassol é uma figura política que causa ódios e paixões e por mais que muitos queiram, sua situação jurídica é bastante complicada. O STF tirou de circulação uma grande liderança política.

Outro

Expedito Júnior é outra liderança que consegue ser unanimidade no interior do Estado. Em todos os municípios as pessoas querem saber se ele pode ser candidato em 2014. E a maioria não o quer no senado, quer ele no governo. Vamos aguardar.

Abandono

No Real Forte Príncipe da Beira, uma fortaleza linda, construída às margens do rio Guaporé em 1776, podemos ver, além da beleza do lugar, os rastros da incompetência do IPHAN de Rondônia. Em 2009, segundo um militar lotado no forte, o pessoal do IPHAN andou pelo local e tentou proibir o exército até mesmo de limpar o entorno e o centro da fortaleza, com a seguinte alegação, “vocês não possuem equipamentos adequados para limpar o forte”. Ao mesmo tempo, o mesmo IPHAN fez o desfavor de tampar duas janelas do forte com tijolos vagabundos, que destoam completamente do restante das ruínas.

Não fosse

Pelo Exército Brasileiro, o forte certamente já teria ruído. O local está limpo, aberto à visitações com direito a guia do próprio exército. Quem não conhece, precisa conhecer. A estrada até Costa Marques está em ótimas condições, com pequenos trechos sem asfalto, mas nada que atrapalhe o percurso. O forte fica situado a 40 quilômetros de Costa Marques e vale a pena conhecer. Em nosso Tumblr você confere algumas imagens e um pequeno vídeo panorâmico do local.

Aliás

O IPHAN de Rondônia prestou um enorme desfavor à população nos últimos anos.

No caminho

Logo na saída de Rolim de Moura você vai encontrar uma destilaria que fabrica a cachaça Rover, uma pinga de primeira qualidade que vem sendo produzida desde 2000. Além da pinga colonial, também tem outras, curtidas em diferentes barris, como cerejeira. Também no mesmo local você vai encontrar um mel em sachê, misturado com cachaça. Não recomendo o consumo excessivo. Apesar de docinho, a coisa pega. As imagens também estão no Tumblr.

Fale conosco

Contatos com a coluna podem ser feito pelos telefones (69) 3225-9979 / 9363-1909, ou ainda pelo e-mail alan.alex@gmail.com. No Facebook.com/painel.politico, noTwitter.com/painelpolitico,Facebook.com/alan.alex.pvh ou ainda no www.painelpolitico.com. Caso queira entregar denúncias ou documentos, favor encaminhar para Rua da Platina, esquina com Rio Madeira, 4326, Conjunto Marechal Rondon.

Exame promete detecção precoce de câncer de ovário

Pesquisadores americanos desenvolvem uma forma de detecção precoce do câncer de ovário. É o tumor ginecológico mais difícil de se diagnosticar nos estágios iniciais, fase em que as chances de cura são maiores. O método foi desenvolvido por meio de testes feitos com 4.051 mulheres, conforme publicado na revista científica “Cancer Journal”. Trata-se de um exame de sangue capaz de medir o nível de uma proteína ligada ao tumor no ovário, a CA125, associado a exames complementares de imagem de acordo com o nível de risco apontado pela substância. A chance de cura é elevada a 90% quando o câncer de ovário é detectado precocemente, em comparação com os menos de 30% de possibilidades quando é descoberto em estágios mais avançados. Ao contrário de outros tipos de tumores malignos, sintomas como dor pélvica e abdominal ou inchaço persistente são confundidos com os de outras doenças. Cientistas já sabem que mulheres com este tipo de câncer têm níveis mais altos da proteína CA125, mas a medição da substância tão somente não dá certeza ao diagnóstico. Há casos de pacientes com tumor que dão negativo para o exame, assim como há ocorrências de falsos positivos. De acordo com especialistas da Clínica Mayo, nos EUA, o aumento no nível de CA125 pode ocorrer por vários motivos: endometriose, inflamações pélvicas e cirrose, assim como simplesmente uma gravidez ou a menstruação. Além do tumor de ovário, os níveis de proteína aumentam em casos de câncer na camada interna ou externa do útero e na tuba uterina. Mas os pesquisadores da Universidade do Texas estão usando o mesmo teste de sangue de forma diferente. Em vez de encaminhar pacientes direto para sala de cirurgia logo em seguida ao resultado do teste, mulheres foram separadas em três grupos, a depender do nível de proteína encontrado: aquelas classificadas como de baixo risco (83%) foram testadas uma segunda vez depois de um ano; as de risco médio (14%) depois de três meses; e as consideradas de alto risco (3% das voluntárias estudadas) fizeram um exame de ultrassom para buscar pelo tumor.

[print-me]